segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Mentiras que contam sobre o capitalismo


Que o ensino no Brasil é extremamente decadente é bem verdade e os próprios brasileiros reconhecem este fato. Porém a situação ficar ainda pior quando se aborda o tema “Capitalismo” nas escolas. Os estudantes sofrem um ataque de mentiras que mais se assemelha a uma “lavagem cerebral”, tamanha é a desonestidade intelectual dos professores. O texto a seguir vem desmentir inúmeras falácias contadas por aí a cerca do Capitalismo. Vamos ver uma por uma:


1- O Capitalismo tem que ser controlado pelo Estado:Essa sem dúvida é a mentira mais perversa de todas. Os economistas austríacos foram bastante eficazes em mostrar que o melhor Capitalismo é o liberal, ou seja, aquele em que o Estado não interfere na economia, ou interfere minimamente. A intromissão do Estado na economia é extremamente maléfica e isso pode ser facilmente observado quando o Estado aumenta os impostos, deixando os produtos mais caros e empobrecendo a população ou quando manipula a verdadeira taxa de juro causando distorções no mercado. Quanto mais livre for a negociação entre as pessoas e menos interferência estatal nestas relações, melhor será para as partes envolvidas. Aconselhamos a leitura dos livros “As seis lições” de Ludwig von Mises, “a economia do intervencionismo” de Fábio Barbiere e “Estado? Não, obrigado” de Marcelo Mazilli.


2- O Capitalismo é um sistema excludente: 
No capitalismo você pode abrir o seu próprio empreendimento e tornar-se empresário quando desejar, basta oferecer um bem (produto ou serviço) que os consumidores tenham interesse. Se não tiver dinheiro suficiente para iniciar o seu negócio, um banco pode lhe emprestar. Cada vez que novos empreendimentos são inaugurados, novas pessoas serão contratadas e sairão da zona de desemprego. Os esquerdistas são obrigados a admitir que o Capitalismo é mais inclusivo do que o Socialismo e isso é um fato incontestável.


3- No Capitalismo só o que importa é o lucro:
O lucro é o fator que determina se uma empresa está indo bem e criando riqueza, ao passo que o prejuízo demonstra que ela está indo à falência. Então, é o lucro que guia a ação empresarial de maneira saudável. Eu duvido se alguém no mundo aceitaria trabalhar sem receber o seu merecido lucro. Não devemos esquecer que é através do lucro que os empresários: pagam seus impostos, pagam seus funcionários, renovam estoques, compram máquinas para tornar a empresa mais eficiente e os produtos mais baratos ao consumidor final. O que se conclui na verdade é que o lucro é o fator que gera a prosperidade em qualquer sociedade. Até mesmo no Socialismo o lucro tem que existir obrigatoriamente. (Leia mais no artigo: Condenar o lucro é defender o retrocesso da humanidade


4- O Capitalismo criou as desigualdades sociais:
Muito pelo contrário, foi o capitalismo que acabou com as desigualdades sociais. Na antiguidade, as sociedades eram divididas em classes sociais (normalmente: a nobreza e o povo pobre) e não havia mobilidade social, ou seja, quem era pobre viveria e morreria pobre; e quem era rico viveria e morreria rico. Com a chegada do Capitalismo qualquer pessoa pode tornar-se um empresário como já dissemos anteriormente. Assim, quem é pobre tem a chance de ficar rico (desde que sua atuação no mercado seja excelente) e quem é rico pode ficar pobre da noite para o dia se agir de maneira irresponsável no mercado. Frequentemente vemos na TV pessoas que viviam na pobreza e triunfaram, enquanto pessoas que eram ricas faliram de repente. Essa é a mobilidade social que somente o Capitalismo foi capaz de criar. 


5- O Capitalismo é um sistema altamente poluidor:
Estudos ambientais mostram que o Socialismo é, na verdade, muito mais poluidor do que o Capitalismo (veja o artigo: “Poluição ambiental: Capitalismo X Socialismo”). A China, por exemplo, é considerada um dos países mais poluidores do mundo! Fora esta constatação, devemos olhar o que o Capitalismo vem promovendo em termos de produtos que protegem o meio ambiente: garrafas recicláveis, carros elétricos, ventiladores eólicos, placas solares para obtenção de energia elétrica limpa, computadores e pen-drives que impedem a destruição de milhares de árvores para criação de folhas de papéis etc. Não há dúvidas: o Capitalismo é o sistema que mais protege o meio ambiente.


6- O Capitalismo explora os trabalhadores:
No livre mercado, as pessoas somente realizam trocas quando ambas sentem que sairão ganhando durante este processo. Assim, os empresários desejam obter funcionários para fornecer aos consumidores os serviços e produtos que eles desejam, ao passo que os trabalhadores trocam livremente sua força de trabalho por um salário que tanto desejam. Assim ambos saem ganhando: empresários conseguem mão de obra e os trabalhadores conseguem um salário. Se os trabalhadores aceitam o salário que a empresa lhe oferece é sinal que ele entende que este novo salário o deixará em melhores condições de vida do que antes. A ideia de “exploração do trabalhador” já foi refutada pelos economistas austríacos Carl Menger e Eugen von Böhm-Bawerk. Se o leitor desejar saber mais procure os livros “Princípios de economia política” e “a teoria da exploração do Socialismo-Comunismo” dos respectivos autores.


7- O Capitalismo gera o consumismo:
Ninguém obriga ninguém a consumir. Por acaso existe algum empresário apontando uma arma para a sua cabeça te obrigando a consumir? Os indivíduos compram produtos porque querem, eles são livres para comprar ou evitar comprar. Cabe a eles fazer escolhas, ser responsáveis e arcar com as consequências de suas atitudes diante do mercado.


8- O Capitalismo serve somente para a “elite”:
Se isso fosse verdade não existiriam lojas que vendem produtos a preços bem baixos tais como as de 1,99 R$. O objetivo dessas lojas é justamente fazer com as classes mais baixas possam obter produtos a um preço pequeno. Da mesma forma, as privatizações sempre fazem os preços dos serviços baixarem, pois os empresários que entram no ramo anseiam obter o máximo de clientes possível e aniquilar os rivais, mas para conseguir tal façanha, ele deve baixar os preços dos seus produtos e serviços ao um nível mais popular possível. Após a privatização da telefonia no Brasil, as pesquisas estimam que cada brasileiro possui em média 2 telefones celulares, esta é a popularização do serviço. Devemos lembrar que mesmo o rei mais poderoso e rico da Antiguidade ou Idade Média, não obteve sequer nem metade do luxo que as pessoas possuem hoje graças ao Capitalismo. Reis não tinham telefones, nem televisão, nem ventiladores, nem condicionadores de ar, ou seja, graças ao Capitalismo, hoje vivemos infinitamente melhor do que o rei mais poderoso que o mundo antigo já conheceu.


Se você é um estudante que também ouviu esse amontoado de mentiras por aí, saiba que você não é o único. O objetivo desse texto foi desmascará-las de forma definitiva e esperamos que este objetivo tenha sido atingido. Esperamos também que a sua visão a respeito do Capitalismo tenha mudado.



...